Arquivo da categoria: Meu

Mate-nos, mate nós

mate

Todos os dias tomamos mate. Às vezes na sala, às vezes na varanda, às vezes na praça perto de casa. Ritual fraterno e amoroso: É um beijo tabelado entre nossos lábios e a bomba. É quente como nosso amor e amargo como a vida, que tentamos, como todos, digerir todos os dias.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Meu

Georgiagrama em três línguas

Girl

Entusiasmo

Orientación

Regalo

Gris

I love you

Amor

1 comentário

Arquivado em Literatura, Meu

O Homem Dos Casos

Nos conhecemos quando servimos juntos, em 73, no segundo regimento João Manoel, em São Borja. Eu entrei e ele já era cabo. Casou-se com a cozinheira, que para lhe ter servia panquecas às escondidas na cantina do quartel. Casou-se mais duas vezes e na terceira se tornou meu compadre. Carreguei-o e enfatiotei-o para a cerimônia. Emociou-me e hoje vive feliz perto da casa de minha infância, morando com seu amuleto em forma de mulher.

Deixe um comentário

Arquivado em Meu

Caso sobre nada

Num dia desses a guria chegou em casa e foi reto ao quarto. A família ficou preocupada. Pensaram em doença, mal de amor, indignação.

Após um convite para o jantar recusado, a mãe entrou no quarto cheia de indagações. Todas as perguntas foram negativadas, até que a genitora questionou firmemente, obrigando a filha a dar a resposta: “Não é nada”. A mãe espraguejou e saiu do quarto em direção à cozinha. Não havia reparado que o nada que era o problema.

Deixe um comentário

Arquivado em Meu